Estúdio brasileiro desenvolve projeto inovador em VR – Palmeira 1914

palmeira 1914

Palmeira 1914 é uma viagem na história em formato de game VR

Palmeira 1914 – Coloque os óculos de realidade virtual, olhe para os lados, caminhe, você está no meio de uma coxilha típica do RS, interaja com um personagem descendente de índios que vai ser o seu guia nessa experiência, além de contar “causos” que nos remetem a uma aula de história disfarçada de game.

Esse é o projeto “Palmeira 1914”, um jogo educacional em realidade virtual produzido pelo Estúdio Romeu&Julieta, que foi apresentado durante o 32° Carijo da Canção Gaúcha, um dos principais festivais de música nativista que aconteceu no final do mês de Maio em Palmeira das Missões/RS.

O projeto foi inteiramente validado com um historiador, desde a fala do personagem com os termos de época próprios do povo gaúcho, assim como todos os elementos, da vila até a vegetação.

Além de explorar o ambiente, a interação se dá quando o personagem pede ajuda para apaziguar o fogo do carijo (processo rudimentar que dá nome ao festival, este era o processo de secagem da erva-mate), com uma “guampa de trago”, que é um copo feito com o chifre de boi, esta guampa é o controle do óculos.

O game é uma viagem no tempo a cerca de 100 anos atrás, nele você conhece o Carijo exatamente como era nessa época, os prédios históricos de 1914 que hoje já não existem mais e que foram reconstruídos através da computação gráfica.

“O projeto Palmeira 1914 surgiu da vontade de gerar novas experiências quando abordamos a nossa história, sair do papel de quem assiste e entrar no papel de quem vivencia, literalmente, esse projeto vem para suprir uma lacuna de conteúdo de entretenimento com background educacional e histórico.

E a realidade virtual é uma grande ferramenta para isso, apresentamos um conteúdo que se disfarça de game, mas o background dele é falar sobre a história da erva-mate e da cidade, mostrar elementos que não existem mais, que estão perdidos na história, dentro de um museu ou numa gaveta em um álbum de fotos. É um projeto inovador, pioneiro no Brasil e América Latina.” comenta Jean Campos, criador do projeto e sócio fundador do Estúdio Romeu&Julieta.

Re-criando um mundo do zero

palmeira 1914 vr

Para que essa experiência fosse o mais real possível, o núcleo de pesquisa teve como consultor o historiador e professor Henrique Lima, especializado na história do Rio Grande do Sul e da cidade de Palmeira das Missões.

“Nós sabemos que a história é inacessível, e o passado na verdade, ele sim é acessível. O passado não existe mais, mas nós podemos visitar os resquícios desse passado que nos chegaram, através dos registros históricos, sejam eles escritos, materiais, imateriais. E esse projeto em realidade virtual agora permite que essa história seja visitada e seja experimentada, a partir dos recursos tecnológicos atuais.” comenta Henrique Lima

Uma das preocupações com o projeto foi o cuidado em criar uma imersão real e verossímil,
reproduzindo em detalhes todos os aspectos da região noroeste do Rio Grande do Sul. Isso foi possível com a tecnologia de scaneamento 3D, a mesma tecnologia usada em filmes como Avatar, Jurassic Park, entre outros, onde objetos e pessoas são transformados em arquivos 3D. Mas não foram feitos os scan´s apenas dos objetos e atores, mas também dos terrenos, plantas rasteiras, e até das folhas e galhos da erva-mate.

Tudo que está dentro da imersão foi fielmente recriado do zero pelo time do estúdio, segundo Jean Campos, essa foi uma decisão do time, seria mais viável em termos de custos e tempo pegar tudo pronto em lojas 3D, mas isso iria totalmente contra o objetivo principal do projeto, que é contar uma história respeitando fielmente a sua identidade e história própria.

“Todo esse material que está sendo construído no projeto Palmeira 1914 vai ser uma fonte de referência oficial, eu considero esse projeto muito importante para as atuais e futuras gerações, para que elas conheçam realmente a história do seu município e região, e principalmente porque utiliza mecanismos tecnológicos muito usados hoje, principalmente pelos jovens, e essa tecnologia acaba despertando o interesse dessas gerações e fazendo com que elas realmente aprendam e estudem a história do local onde vivem” comenta Dudu Freire, prefeito da cidade de Palmeira das Missões.

Realidade Virtual – Educação aliada ao entretenimento

“A educação aliada ao entretenimento já existe há décadas, outros países usam os quadrinhos, o cinema, a televisão e hoje em dia os games, você se diverte e aprende sobre os mais variados assuntos. Nós brasileiros, graças a essa fórmula temos mais conhecimento da história internacional do que a nacional por exemplo, e a realidade virtual agora é capaz de elevar essa fórmula a um novo nível, principalmente dentro das salas de aula.” comenta Jean.

“A série de games Assassin’s creed é um bom exemplo atual, você como jogador explora e interage em vários momentos históricos, da revolução industrial a independência americana, além de aprender sobre esses momentos você também acaba criando um interesse maior sobre o assunto…” completa Jean.

palmeira vr

Palmeira 1914 é o primeiro projeto em realidade virtual da américa latina visando uma experiência real e pessoal com a história da sua região, mas esse não é um projeto isolado, nos Estados Unidos temos o projeto Virtual Harlem, onde somos transportados para o clássico bairro de Nova York em 1920, a diferença entre esses projetos é que o projeto brasileiro alcançou um nível de gráficos high end, ou seja, o detalhamento alcançado nas imagens é similar aos grandes games da indústria de jogos e filmes.

“As pessoas de fora do Brasil tem elogiado muito o projeto como um todo, principalmente a parte gráfica, alguns até ficam espantados como chegamos nessa qualidade com recursos tão limitados, mas isso se deve a nossa experiência de mais de uma década trabalhando em projetos de alto nível feitos para a publicidade, trabalhamos para marcas globais com um grau elevado de exigência.” explica Jean, segundo ele era imprescindível que os gráficos fossem realistas, somente desta maneira a experiência imersiva poderia ser tão real.

A exemplo do que já é feito lá fora, Palmeira 1914 vai de encontro aos projetos feitos nos Estados Unidos e Europa, onde já estão usando a tecnologia para treinamento militar, capacitação profissional, estudo de línguas, tratamento de pacientes com fobias,engenharia e muitas outras aplicações. Google, Facebook, IBM, Microsoft, todos estão investindo pesado em pesquisa, segundo Sugata Mitra, professor do Massachusetts Institute of Technology (MIT), o celular como conhecemos vai desaparecer em breve e a educação terá que se adaptar a mais essa mudança vinda da realidade virtual.

A aprendizagem virtual já abriu as portas para a educação atingir mais pessoas, os EAD´s e cursos virtuais são um exemplo de sucesso, mas a realidade virtual está nos mostrando que podemos ir muito mais além.

“Essa possibilidade de você viajar o mundo sem sair do lugar, ou de viajar no tempo, e tudo isso sem ter um custo que é a abordagem que a gente está trabalhando aqui. Essas ferramentas de realidade virtual como experimento educacional estão sendo bem desenvolvidas no mundo inteiro”.

“O que a gente está fazendo aqui é um ensaio, é um experimento! Ele tem um background um pouquinho de game mas ele é um lance mais de experiência. Então se isso for desenvolver um pouco mais o aprendizado e principalmente o interesse do jovem, do aluno pela história local, já está válido, creio que já ganhamos alguns pontos positivos vendo a reação aqui no estande.” comenta Jean.

Palmeira 1914 é um projeto inovador que apresenta-se de forma robusta e com excelente nível de qualidade gráfica, sonora e com conteúdo rico e embasado. Segundo seus desenvolvedores, o projeto está em fase final de elaboração e em breve estará disponível para download na Steam.

Deixe um comentário: