HTC Vive – Guia – Review

analise htc vive

HTC Vive análise – review

O Vive chega ao mercado prometendo um grau de imersão superior ao dos concorrentes.

Adversário direto do Playstation VR (Sony) e do Oculus Rift (Facebook) o HTC Vive, headset da Valve, chega ao mercado prometendo uma experiência em realidade virtual única e desempenho superior ao dos concorrentes.

Antes de iniciar o Review cabe uma breve apresentação da Valve, empresa de renome internacional, mas pouco conhecida pela maioria dos usuários no Brasil. A Valve Software, normalmente denominada apenas por Valve, é uma empresa norte americana desenvolvedora de jogos eletrônicos e de distribuição digital. A empresa foi fundada em 1996 e tem um histórico de sucesso no desenvolvimento de softwares – Half-Life, Counter-Strike, Portal, Day of Defeat, Team Fortress, Left 4 Dead e Dota 2 – são alguns exemplos de títulos assinados pela empresa. A Valve utiliza uma plataforma de distribuição de software denominada Steam, na qual a maioria de seus jogos podem ser baixados. Ela também possui uma linha de computadores pronto para uso em games, rodando o SteamOS, denominados Steam Machine. Em Março de 2015, Valve e HTC (empresa multinacional de tecnologia) anunciaram um projeto para desenvolver o HTC Vive, tendo sido apresentadas parcerias com a Google, a Lions Gate, e a HBO para desenvolver conteúdo para o dispositivo.

Anunciado com surpresa na “Mobile World Congress” em Barcelona, no ano de 2015, o dispositivo de realidade virtual da Valve chega agora ao mercado. Cercado de elogios e muitos questionamentos, o headset já esta disponível para compra. No entanto, a pergunta – será que vale a pena o investimento no HTC Vive, dispositivo de realidade virtual com o maior custo? – deve estar sendo feita por muitos consumidores que já decidiram pela aquisição de um dos três dispositivos. O review, elaborado pelo Portal Realidade Virtual, talvez possa ajudar na sua decisão, sanando algumas dúvidas e apresentando os pontos positivos e negativos do Vive.

O HTC Vive ($799) é a opção mais cara entre os dispositivos de realidade virtual que chegam ao mercado esse ano, superiores aos $599 do Oculus Rift e aos $399 do PlayStation VR. No entanto, quando o preço é comparado ao do Oculus Rift, a diferença não se apresenta tão grande assim, pois, enquanto o primeiro vem acompanhado de dois controladores de mão SteamVR, o Rift segue apenas com um controle do XBOX One, sendo que o Oculus Touch será lançado no final do ano e deverá ser compra certa para os proprietários do Oculus Rift. Além disso, o pacote do Vive oferece as duas estações base de controle de movimento, que também são um diferencial do equipamento.

UNBOXING

A imagem abaixo exibe a cena que você verá ao abrir a caixa do HTC Vive. É uma pilha assustadora de hardware que ficará sob sua responsabilidade de montar, mas nada que um pouco de paciência e experiência com eletrônicos não resolva.

htc vive caixa aberta acessorios

O pacote do HTC Vive vem com os seguintes itens:

Apesar da quantidade de equipamentos existentes no interior da caixa do Vive, a sequencia de instalação é bastante lógica e não deve gerar maiores problemas à maioria dos consumidores. Os passos iniciais de configuração, são bem explicados no manual e se resumem em fixar os cabos em seus respectivos plugs e ao computador que será utilizado como plataforma.

Em seguida, é necessário instalar as estações base (Lighthouse Laser Base Stations), sendo necessários alguns cuidados nessa etapa. As estações devem ser posicionadas de preferência em algum local alto (uma estante por exemplo) e devem poder “ver” a maior parte do ambiente e uma à outra. Essa linha de visão entre as estações é necessária pois as duas precisam estar sincronizadas. Se, devido a disposição do ambiente, isso não for possível, um cabo auxiliar pode ser utilizado.

Finalmente, é necessário baixar o software da Valve e, em seguimento, apresentar para o HTC Vive o ambiente físico no qual ele será instalado.

Esse é um dos grandes diferenciais do Vive, a varredura do ambiente pelas estações base gera a possibilidade do jogador se locomover naturalmente e, essa movimentação ser percebida e corretamente interpretada pelo sistema. Isso aumenta exponencialmente o nível de imersão a abre campo para uma infinidade de possibilidades em realidade virtual, que seguramente ficam limitadas quando você esta fazendo uso de um dispositivo apenas sentado ou de pé.

O processo em si é bem orientado, mas um pouco menos fluido que o restante da instalação. Em resumo, você deve seguir alguns passos indicados na tela, usando os controles SteamVR para definir os limites do cômodo no qual você irá utilizar o HTC Vive. A partir daí, para todos os games ou softwares que for utilizar, esse perfil de espaço será utilizado pelo hardware.

Caso tenha espaço disponível – um mínimo de 2m x 1,5m é requerido, podendo chegar a 4,5m x 4,5m – você pode optar pela configuração de movimento. Caso contrário, você terá que optar pela configuração de jogo apenas parado de pé.

htc vive setup

htc vive setup quarto

area htc vive disponivel

Essa configuração é extremamente importante, pois você deverá estar ciente que estará fazendo uso de um dispositivo que literalmente te “cega” para o mundo real. É, realmente, conflitante, se deslocar fazendo-se uso do HTC Vive, e é necessária uma confiança absoluta no sistema, considerando-se que um erro de cálculo pode fazer com que você dê de cara com uma parede! A Valve, felizmente, encontrou uma forma de evitar esse problema. Após a definição do espaço, sempre que você se aproxima dos limites físicos, uma espécie de rede virtual aparece na sua frente, alertando sobre a hora de parar.

A possibilidade de movimentação livre sem dúvida gera momentos e visões em realidade virtual que, com certeza, nunca antes foram experimentados, é algo fenomenal e um grande diferencial do Vive. No entanto, a necessidade de espaço livre, para a maioria dos usuários, possivelmente ficará limitada às dimensões reduzidas de nossos apartamentos modernos. Quem tem espaço livre, esses sim, podem comemorar.

ERGONOMIA

O HTC Vive apesar não ser um exemplo de design, após ser colocado junto ao rosto torna-se uma peça extremamente confortável. A interface facial – realizada através de uma espuma de toque suave – é bem acabada e resistente, oferecendo um suporte firme mas ao mesmo tempo confortável. O dispositivo é fácil de colocar e apresenta-se bem firme e seguro na cabeça, sendo que os ajustes finos são realizados por duas tiras laterais de velcro.

O dispositivo permite, também, ajustar a distância interpupilar – importante para que as imagens percebidas sejam as mais semelhantes possíveis à do mundo natural quando vista sem os óculos. Esse ajuste é realizado através de um botão giratório localizado na lateral do equipamento e possibilita um ajuste extremamente preciso dessa distância.

htc vive desin

Outro ajuste importante é o de aproximação ou afastamento dos visores em relação aos olhos, função crucial para uma melhor acomodação do foco à cada indivíduo, principalmente para os que fazem uso de óculos tradicional. Esse ajuste pode ser realizado sem retirar o headset da cabeça.

As conexões e transferências de informações no Vive são realizadas através de cabos. Esses se distribuem de forma organizada, no entanto, é de certa forma decepcionante sentir os cabos tocando as suas costas quando você está imerso no mundo virtual. Outro problema é que você pode se enroscar nos cabos durante as movimentações, principalmente nos games que exigem uma maior frequência de deslocamentos.

CONTROLES

O sistema de rastreamento é um sistema versátil que permite que qualquer periférico integrado com diodos foto sensíveis possa ser transportado para o plano virtual, sendo rastreados com 6 graus de liberdade e com precisão. E a chave para o funcionamento preciso, dentro do ambiente anteriormente configurado, está nos controles SteamVR, que são rastreados e acompanhados em velocidade real pelas estações base.

Os controles SteamVR exibem um design inovador, em forma de empunhadura de arma. Eles são feitos com material de qualidade, apresentam boa aderência e se encaixam bem as mãos. Mostram-se, ainda, de forma robusta e em um tamanho grande – sem que o peso incomode – o que permite uma experiência bastante agradável de manuseio.

controle vive steamvr

Os controles são estruturados em um corpo principal, exibindo dois botões de “apertar” nas laterais e um botão “tipo gatilho” na região anterior. Na posterior um botão “Sistema” próximo à base e um botão “Menu” próximo ao topo. Na região central da parte de trás (posterior) há um grande trackpad, que atua como um sistema preciso de controle analógico.

Os controles são sem fios, com pontos de carregamento na base de cada um. A vida útil da bateria é muito boa, aparentemente bem superior ao dos conhecidos Dualshock 4 da Sony.

Em uso, os SteamVR superaram as expectativas, e mostram-se como mais um trunfo da Valve nesse concorrido mercado que se apresenta. A velocidade de rastreamento e o posicionamento dos botões, aliados a um bom conjunto ergonômico permitem uma imersão precisa em um espectro considerável de situações em realidade virtual.

AUDIO

A medida que os dispositivos de realidade virtual chegam ao mercado e os verdadeiros testes começam a ser realizados, uma coisa fica muito clara – o sistema de áudio é parte fundamental para uma experiência completa. A presença do som em realidade virtual não é apenas para melhorar o ambiente, muitas vezes o áudio é crucial para direcionar a atenção do jogador para coisas que podem estar atrás ou ao redor dele.

O pacote do HTC Vive não inclue áudio integrado e, talvez, seja uma das suas maiores falhas quando se comparado à edição recentemente lançada do Oculus Rift, que vem com sua linha de áudio próprio. Esse fator se torna importante, pois uma linha de áudio integrada possibilita uma melhor resposta de frequência e outros aspectos técnicos que facilitam a adaptação espacial do áudio ao dispositivo. Outro fator negativo é que se tem mais um cabo a ser conectado que, em alguns momentos, pode  ser um fator de incômodo durante o uso.

O conjunto da Valve vem com um par de fones de ouvido que, apesar de simples, em uso, apresentam uma resposta bem satisfatória. Felizmente, o cabo do fone é conectado ao próprio headset e se torna “menos um” para se embolar ou tropeçar. O usuário que possua um headphone de qualidade, tem a opção de usá-lo no lugar do fornecido no conjunto da Valve.

htc vive analise

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

O HTC Vive, assim como o Oculus Rift, faz uso de um par de displays OLED com resolução de 1080 x 1200 para cada olho, sendo uma resolução combinada de 2160 x 1200. O dispositivo trabalha com um campo de visão de 110 graus e é executado a uma taxa de 90Hz, entregando uma imagem em 3D estereoscópica (que simula o mecanismo biológico humano de visão).

O HTC Vive chega ao mercado ao custo de US $799, além da necessidade de um computador potente – que exiba as configurações necessárias para atuar como plataforma principal para o dispositivo.

Especificações mínimas:

GAMES / CONTEÚDO

Talvez aqui esteja a maior incógnita a respeito do HTC Vive (pois seu potencial de hardware é inquestionável), enquanto o Oculus Rift foi lançado com uma dezena de jogos completos já disponíveis, o Vive ainda conta com um espectro reduzido de títulos terminados. Possivelmente isso ocorreu devido ao fato do Rift já estar sendo testado há mais tempo e as empresas de software, em consequência, puderam se preparar melhor para o seu lançamento. O mesmo ocorre com o Playstation VR, dispositivo da Sony, que já anunciou cerca de cem títulos para serem lançados até o final de 2016. Possivelmente a carência de conteúdo será revertida em breve e, com o crescimento da indústria da realidade virtual, muitos títulos estarão disponíveis para os três principais dispositivos, além de muitos exclusivos para o Vive.

É verdade que há muitos jogos surpreendentes disponíveis no Steam, que irão manter os jogadores entretidos durante dias, mas não estou tão certo se serão suficientes para um período maior de tempo. Muitos dos jogos para o HTC Vive são demos ou são jogos que mais apresentam a realidade virtual para o usuário do que propriamente desenvolvem um conteúdo completo.

CONECTIVIDADE

Outra funcionalidade do HTC Vive é a conectividade Bluetooth, dando ao usuário a possibilidade de atender chamadas de telefone ou mesmo enviar mensagens de texto (utilizando-se de respostas pré definidas), sem a necessidade de retirar o dispositivo da cabeça.

RESUMO

O HTC Vive é um headset de realidade virtual surpreendentemente poderoso e com um potencial enorme para o desenvolvimento de games e softwares. Ele proporciona uma experiência única quando comparado a seus concorrentes pois o deslocamento livre, possibilitado pelas estações base de rastreamento, não será encontrado nos outros dispositivos. Os controladores portáteis SteamVR foram feitos sob medida e superaram as expectativas durante o uso. O tracking é preciso e quando combinado a uma tela de alta resolução à taxa de 90Hz fornece uma experiência suave que é facilmente comparável aos nossos olhos na vida real. O conteúdo pode ser um pouco escasso no momento, mas imagino que haverá uma ampla variedade de aplicativos e jogos disponíveis para o HTC Vive nos próximos anos.

Leia também – Comparativo: Playstation VR vs Oculus Rift vs HTC Vive

3 Comentários

Deixe um comentário: